domingo, 12 de setembro de 2010

Acusação

Breve apresentação da obra Dom Casmurro de Machado de Assis 

A história a ser contada se passa no Rio de Janeiro, à época do Império. Essa narrativa trata da relação entre duas famílias vizinhas, de diferentes classes sociais. Na de classe social mais baixa, os Pádua, havia uma jovem, Capitolina Pádua, que mantinha uma relação de amizade com Bento Santiago, o vizinho, da família Santiago.
Porém, essa relação se estende muito além do plano da amizade, tendo como desfecho o casamento de Bentinho e Capitu. Esta tinha, desde a infância, uma personalidade muito forte, independente e que, por vezes, beirava à dissimulação. Quanto a Bentinho, conservou sua inocência e ingenuidade.
Antes, porém, de se casar com Capitu, Bentinho teve de atender ao desejo de sua mãe de ir ao seminário, a fim de se tornar padre. O garoto foi, contudo, dissuadido, pelos argumentos manipuladores de Capitu, a repudiar o plano religioso. Nesse ínterim, o jovem conhece aquele que viria a se tornar seu melhor amigo, bem como a ruína de seu futuro casamento: Escobar.
O que interessa é que Escobar se torna alguém muito presente na vida da família Santiago, surgindo, dessa forma, uma proximidade entre ele e a esposa de Bento Santiago.
Logo, essa “amizade” começou a causar desavenças dentro da família. À época não era comum uma relação com tamanho grau de proximidade entre uma mulher e um homem que não fosse seu marido. De início, Bentinho não desconfia de nada, devido a sua ingenuidade e pureza. Porém, vários fatos começam a despertar sua desconfiança e ele passa a acreditar que algo realmente acontecera entre sua esposa e o melhor amigo, culminando na separação de Bento Santiago e Capitolina Pádua.

Grupo: Analu, André, Andrea, Augusto, Bárbara, Beatriz, Caio, Calebe -  TURMA - 3º. A

Um comentário:

  1. Culpada , ela traiu Bentinho .. pois * Desde a infância, já fica bem claro o quão dissimulada era Capitu. Diante das maiores saias justas, ela mentia tão bem e agia tão naturalmente, que chega a ser desconcertante... ela manipulava o Bentinho, que durante a infância, era muito ingênuo...
    * Capitu não engravidou nos primeiros anos de casamento, e Bentinho desejava muito um filho...
    * Bentinho, depois de uma crise de ciúmes, fica sabendo, por Capitu, que ela se encontrou em algumas tardes, com o seu amigo, Escobar, para tratar de finanças...
    * Bentinho vai ao teatro sozinho, pois Capitu alega mal estar. Mas, muito preocupado e saudoso, volta mais cedo e dá de cara com Escobar, no corredor da sua casa. Nesse ponto, o livro não diz se Escobar está chegando ou saindo... o fato é que, quando Bentinho entra em casa, junto com Escobar, ele encontra Capitu de pé, muito bem disposta;
    * Logo depois Capitu engravida e o narrador frisa. Ela nunca mais engravidou. Ezequiel era filho único do casal.
    * Bentinho questiona Capitu o porque de a mãe dele não estar mais lhes visitando, como era de costume, frisa que a mãe não trata Capitu carinhosamente, como antes e que até o menino, ou seja, o neto ela não adula mais, não dá confiança... Capitu diz que é apenas ciúmes de sogra... (aqui da´ a impressão que a mãe de Bentinho sabia de algo entre Capitu e Escobar)
    * Ezequiel cresce e vai parecendo cada vez mais com Escobar, inclusive nos gestos, trejeitos, aparência física e caminhado... e se parece muito também com a filha de Escobar (que pode ser sua irmã).
    * A esposa de Escobar, em determinado momento, parece desconfiar, e quando este morre, ela não aceita que Capitu (até então, sua melhor amiga) passe a noite com ela, e depois vai embora da cidade...
    * Depois da separação, Capitu vai morar no exterior, e o José Dias, o agregado da família de Bentinho, corresponde-se freqüentemente com ela e sempre lhe pede que envie fotos do menino pra família, no Brasil, e ela nunca manda... (parece querer esconder, a qualquer custo, a enorme semelhança entre ezequiel e o finado Escobar)

    ResponderExcluir